Pra você que é novo na área de Bitcoin, os últimos meses devem ter sido muito loucos. Houve algumas subidas exageradas e quedas de parar o coração. Foi como estar numa montanha russa onde a emoção é difícil de ser controlada. A ação do preço é eletrizante e, às vezes, dolorosa, por isso é fácil ficar sem noção de no que você está investindo.

Todas as criptomoedas parecem estar trabalhando juntas, então qual é a diferença? Como uma moeda pode ser diferenciada da outra? E mais importante, como um investidor vai saber qual será o valor a longo prazo de uma moeda?

Neste artigo defenderei o que torna o Bitcoin diferente e como o Bitcoin é um sistema que, apesar de toda a clonagem, ainda não conseguiram chegar ao seu real valor.

Inovação do Bitcoin

Para realmente entender a proposta de valor do Bitcoin tem que atentar-se um pouco à sua história. É tentador pensar que uma nova ICO ou altcoin são o que finalmente “melhorará” o Bitcoin e consertará todos os seus problemas e ele será exilado na lata de lixo da história devido à falta de algum “recurso”. De fato, quase toda altcoin, ICO ou hard fork que inventam, seus produtores acham que eles estão sendo inovadores de alguma forma fundamental. Mas o que eles pensam que falta, na verdade já existe.

A escassez digital descentralizada é a verdadeira inovação e o Bitcoin foi o primeiro. E este artigo deixará claro que ele continua a ser a única moeda desse tipo. Todas as outras chamadas de inovações (mais rápidas, perfeitas, algoritmo diferente, ordenação, transação, privacidade), são variações muito pequenas se comparadas à inovação gigante que é o Bitcoin.

É importante lembrar aqui que alternativas ao Bitcoin foram propostas desde 2011 e nenhuma delas chegou perto de desbancá-lo em termos de preço, uso ou segurança. O IxCoin foi um clone do Bitcoin criado em 2011 com maiores recompensas de blocos e premine (quando o desenvolvedor aloca uma certa quantidade de moedas para um endereço específico).

Tenebrix foi uma altcoin criada em 2011 que tentou adicionar resistência à GPU e novamente teve um grande premine. A Solidcoin foi outra criada em 2011 com tempos de blocos mais rápidos e, novamente, premine. Sobre os únicos que sobreviveram (e que não permaneceram como mortos-vivos) daquela época inicial das altcoins estão a Namecoin e o Litecoin, que se distinguiram justamente por NÃO possuir premine.

As ICOs também não são novidades. A Mastercoin criou uma em 2013 com, você adivinhou, premine, e levantou mais de 5.000 BTC na época e teve que se mudar para a Omni (empresa financeira) porque o ecossistema ao redor era muito fraco. A Factom (empresa de blockchain) lançou uma ICO em 2015 e arrecadou mais de 2.000 BTC e teve que fazer várias rodadas adicionais porque ficou sem dinheiro. Em outras palavras, todos esses novos tokens “empolgantes” em geral têm sido muito ruins e, na verdade, não fornecem muita utilidade.

Altcoins e ICOs tentaram muitos “recursos” diferentes e a maioria não foi útil ou adotada. E daí, no que deu? Por que o Bitcoin parece ter um lugar especial no ecossistema? Por que o Bitcoin é diferente? Nós exploramos dois aspectos únicos que tornam o Bitcoin diferente de tudo: a eficácia da rede e a descentralização.

A eficácia da rede

Como o Bitcoin tem a maior rede e com sua eficácia os maiores ganhos, outras moedas basicamente apostam em tudo para alcançá-lo. Bitcoin é Bitcoin 7 dias por semana. Qualquer outra moeda é uma pequena variação (Vamos ter 4 dias de semana! Vamos mudar 1 dia para 18 horas!

Vamos mudar o nome dos dias! Vamos variar a duração da semana de acordo com as autoridades) É desnecessário dizer que esses tipos de “inovações” são, na melhor das hipóteses, muito menores e que geralmente não são adotadas. Isso ocorre porque o ‘efeito rede’ do Bitcoin só cresce com o tempo.

À medida que a rede cresce o que vemos são mudanças sutis ou até mesmo despercebidas que se acumulam em cada modelo. O que pode, aparentemente, parecer ineficiente, na verdade, tem efeitos de segunda e terceira ordem que beneficiam as pessoas em conformidade com a modelo.

Por exemplo, um carro não voa ou entra na água porque o carro foi otimizado para uso em terra firme. A falta de recursos extras torna o carro mais útil, já que é mais fácil estacioná-lo (se comparado a um veículo híbrido: barco/carro/avião), mais barato para mantê-lo, abastecê-lo etc.

Além disso, esses modelos resistiram ao teste do tempo e tentaram provar suas forças de maneiras que não são óbvias. Você não gostaria de ser a primeira pessoa a voar em um carro-avião, por exemplo, porque você não saberia o quão seguro é um veículo desse tipo.

‘Alguma coisa por aí provou sua relativa segurança. O Bitcoin, de certo modo, tem a maior recompensa do mundo para quem achar qualquer falha de segurança. Como resultado, o Bitcoin provou sua segurança com a única coisa que pode realmente testá-lo: o tempo. Todas as outras criptomoedas mais jovens provaram ser menos seguras.

De fato, a natureza duvidosa de muitas dessas “características” se torna óbvia ao longo do tempo. Por exemplo, a matemática perfeita do Ethereum torna a plataforma inteira mais vulnerável (veja bugs do DAO e Parity). Em contraste, a linguagem de contrato inteligente do Bitcoin, Script, evitou a integridade do conjunto de instruções exatamente por esse motivo!

A resposta usual da autoridade centralizada da moeda é consertar essas vulnerabilidades com um comportamento ainda mais autoritário (resgates, forks etc.). Em outras palavras, o ‘efeito rede’ e o tempo combinam com a centralização para tornar as altcoins ainda mais frágeis.

Bitcoin tem a maior rede e isso significa que ele cresce em utilidade simplesmente por ter a maioria dos usuários. É muito mais fácil conseguir acessórios para um telefone popular do que um impopular, por exemplo. O ecossistema em torno do Bitcoin torna sua obtenção e manutenção muito mais fácil do que a sua altcoin ou ICO da semana.

Descentralização

A outra propriedade principal do Bitcoin que nenhuma outra moeda tem é a descentralização. Por descentralizado, quero dizer que o Bitcoin não possui um único ponto de falha ou de paralisação. Todas as outras moedas têm um fundador ou uma empresa que as criaram e que têm mais influência sobre elas. Um hard fork (uma mudança incompatível com versões anteriores) que é forçado no usuário, por exemplo, é uma indicação de que a moeda é razoavelmente centralizada.

Moedas centralizadas têm a “vantagem” de poder mudar as coisas rapidamente em resposta à demanda do mercado. A centralização é certamente uma coisa boa para as empresas, pois muitas vezes tentam obter lucro fornecendo algum bem ou serviço aos seus clientes. Um negócio centralizado pode responder melhor à demanda do mercado e mudar o que eles vendem para obterem melhores lucros.

Por dinheiro, no entanto, a centralização é uma coisa ruim. Primeiro, uma das principais proposições de valor para uma reserva de valor é ser algo que não muda qualitativamente (também conhecido por imutabilidade). Uma reserva de valor exige que suas qualidades permaneçam as mesmas ou melhorem com o tempo. Uma mudança que enfraquece suas qualidades (inflação, queda na aceitação, segurança…) altera drasticamente a utilidade do dinheiro como reserva de valor.

Em segundo lugar, a centralização da moeda tem uma tendência a mudar as regras, muitas vezes para um efeito catastrófico. De fato, a economia do século 20 é baseada na história de bancos centrais que lentamente arruinaram a reserva de valor do dinheiro. A moeda fiduciária média tem uma duração de 27 anos por essa razão, apesar do apoio de entidades poderosas como governos e uso quase universal dentro de um país inteiro como meio de troca. Com “características” de capacidade em reagir rapidamente. E o uso simplesmente não importa tanto para a sobrevivência de uma moeda quanto a escassez e a estabilidade.

Cada criptomoeda e ICO além do Bitcoin, são centralizadas. Para uma ICO, isso é óbvio. A entidade que emite uma ICO e cria um token é a parte centralizada. Eles emitiram a moeda e, portanto, podem alterar o uso do token, alterar os incentivos da moeda ou emitir tokens adicionais. Eles também podem se recusar a aceitar certos tokens pelo seu bem ou serviço.

Altcoins têm o mesmo problema, embora não de uma maneira tão óbvia. Normalmente o criador é o ditador de fato da moeda e pode fazer as mesmas coisas que um governo. Impostos (taxa do desenvolvedor, da armazenagem, etc), inflação, seleção de quem ganha e quem perde (DAO, troca de provas etc) são frequentemente decididos pelos criadores.

Como titular de uma altcoin, você deve confiar não apenas no líder atual, mas em todos os futuros líderes da moeda para não as confiscar, taxar ou inflá-las. Em outras palavras, altcoins e ICOs não são naturalmente diferentes do dinheiro. Na terra de altcoins e ICOs você não não tem todo o poder sobre suas próprias moedas!

Isso é particularmente evidente no maior “concorrente” do Bitcoin: Ethereum. Em qualquer escala o Ethereum é centralmente controlado. Ele teve ao menos 5 hard-forks que obrigaram os usuários a atualizá-lo. Foi um socorro pelas más decisões do DAO. Eles agora estão falando sobre um novo imposto de armazenamento. O controle centralizado foi mostrado logo no início com a seu enorme premine.

Bitcoin é diferente. Uma das maiores coisas que Satoshi fez foi desaparecer. Nos primeiros dias do Bitcoin, Nakamoto controlava muito do que foi desenvolvido. Ao sumir ele criou uma situação em que as partes que não gostam uma das outras (usuários de várias afiliações) têm voz ativa na forma de como a rede é executada.

Cada atualização é voluntária (ou seja, soft forks) e não força ninguém a fazer nada para manter seu Bitcoin. Em outras palavras, não há um único ponto de falha. O Bitcoin tem um sistema onde, mesmo se um grupo inteiro de desenvolvedores forem atropelados por um ônibus, existem várias implementações de código aberto que podem continuar oferecendo opções para todos os usuários. No Bitcoin, você é soberano sobre seus próprios bitcoins.

Isso é uma coisa muito boa, pois não há autoridade central que possa diminuir a utilidade de suas moedas. Isso significa que o Bitcoin é realmente raro (em vez de teoricamente ou temporariamente escasso) e não mudará sua natureza sem o consentimento de todos e, portanto, é uma boa reserva de valor.

Conclusão

Você pode estar se perguntando neste ponto: mas há tantas altcoins e elas estão começando a ‘beliscar’ o valor de mercado do Bitcoin! Primeiro, o valor de mercado é uma métrica altamente manipulada. Em segundo lugar, os mercados, por natureza, têm muitos erros e apenas se suavizam após um longo período de tempo.

Por causa da eficácia na rede e da descentralização, o Bitcoin é diferente de todos os pretendentes ao trono. Isso não quer dizer que não pode haver nada para substituí-lo. Tal declaração certamente seria muito arriscada.

Mas o que fica claro ao estudar a história do mercado de criptomoedas é que o Bitcoin tem uma vantagem que não será abandonada com muita facilidade. E novas mudanças na rede também não seriam boas para ninguém.

O que seria necessário para substituir o Bitcoin? Muito provavelmente uma inovação no mínimo tão grande quanto ele próprio foi (e é), ou um bug que o tornaria inseguro. Ajustar algumas variáveis não será suficiente para que outra moeda o acompanhe. Mesmo adicionando um recurso grande (a privacidade, por exemplo) provavelmente não é suficiente, pois o ‘efeito rede’ já criou um ecossistema específico para o Bitcoin.

A descentralização também não é facilmente alcançada, e as altcoins não descobriram como guiar sua moeda nessa direção. Até mesmo a ideia de guiar uma moeda em uma direção já sugere que ela seja centralizada! É difícil imaginar criadores de moedas valiosas que queiram as descentralizar, pois tem incentivo emocional, econômico e social para mantê-las sobre o seu poder, o poder do criador.

Bitcoin é diferente porque ao contrário das altcoins ele criou uma categoria que tem a eficácia da rede como resultado. O Bitcoin continuará a ser diferente porque, ao contrário das moedas centralizadas, é conduzido pelo mercado, imutável e invisível. Estas são as propriedades de uma grande reserva de valor e isso dá ao Bitcoin uma vantagem que nenhum outro token possui.

Como investidores confiantes seríamos os primeiros a adotar uma revolução no Bitcoin através de uma altcoin ou ICO, é tentadora essa ideia. Mas infelizmente o que se fez até hoje não alterou no ecossistema do Bitcoin suas propriedades fundamentais, a sua eficácia de rede e sua descentralização. Milhares de moedas ao longo de sete anos não conseguiram replicar esses atributos. E essas propriedades são o motivo pelo qual o Bitcoin é a verdadeira revolução.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.